Ver TV é uma obrigação


A maioria das pessoas na internet assiste os reality shows pelo prazer de falar mal desses programas. Não há nada de bom que possa ser aproveitado na maioria deles e o grande esporte é exatamente apontar os erros e todos os pontos negativos que os fazem ser produtos nocivos e de baixa qualidade.
Este prazer, porém, não é extasiante: não causa euforia ou nenhuma sensação sublime. Este prazer é aquele mesmo que se sente ao mergulhar a mão na água gelada depois de ter-se ferido com uma fôrma quente e pesada ao retirar um bolo do forno.

As pessoas não gostam realmente de assistir televisão: nem quem assiste TV aberta nem quem assina canais fechados. Ambos lamentam o conteúdo que recebem e choram por não poder “subir de nível”. Todos assistem pela obrigação de ter um assunto sobre o qual todos possam discutir em uma conversa.

O engraçado é que essa programação é elaborada pelos “donos do poder”, que têm um objetivo direto e específico com isso. Só que esses mesmos “donos do poder” reclamam dos efeitos causados na intelectualidade, cultura, educação, ética e moral da população.
E quem são os “donos do poder”?

Dowglasz Abjhörsky.

Anatel toma decisão equivocada


Entrevista coletiva sobre medidas corretivas para melhorar a qualidade da telefonia móvel.

A operadora de telefonia móvel Telecom Italia Mobile (TIM) está proibida de vender chips e de ativar novas linhas em 19 estados brasileiros, segundo decisão da Agência Nacional de Telecomunicações. Assim os clientes que receberam chips Tim Beta depois da última segunda-feira (23 de Julho de 2012, data em que começou a vigorar o bloqueio da Anatel) ficarão com chips inúteis por algum tempo. Além disso, a operadora, incapaz de recolher todos os chips dos pontos de venda independentes, pede aos clientes que entrem em contato para informar sobre aqueles que insistem em vender o produto. Mesmo que a decisão fosse apenas sobre a ativação das novas linhas, uma interpretação do Código de Defesa do Consumidor considera infração a venda de um SIM Card que não pode ser ativado e a operadora como co-autora da infração.

Apesar de todos os transtornos sofridos pelos usuários, a maioria ainda deve concordar na desproporção de autoria da reguladora. É notório que todas as operadoras têm seus registros de queixas mas também é notório que a líder em constrangimentos, infrações, falhas… é a OI, restringida em apenas 5 estados brasileiros. De fato a TIM tem se espelhado nessa concorrente no quesito depreciação dos serviços e desrespeito ao consumidor, mas a pioneira na tecnologia GSM continua no topo. De um ponto de vista mais regional, na Bahia, faria muito mais sentido a OI ter todos os serviços cortados do que a TIM ser proibida de ativar novas linhas, mas nem tudo acontece como o povo gostaria.

A operadora italiana teve um aumento significativo no número de clientes desde o ano passado, com a campanha TIM Beta, distribuindo chips gratuitos com tarifas especiais – para clientes especiais. Isso interferiu diretamente na qualidade dos serviços mas, segundo o que a empresa indica, vieram junto investimentos pertinentes (embora insuficientes). Ora, os Betas são justamente os jovens que estão sempre online nas redes e falam de tudo – inclusive dos transtornos causados por falhas na rede – e eu entendo que empresas com foco no público jovem sempre colha esse tipo de feed back através de mídias como o Twitter. Ou seja, ao mesmo tempo que o volume “racha” o sistema, os usuários informam as possíveis causas e suas origens, facilitando o direcionamento dos recursos. Embora eu também sinta como se muito pouco estivesse sendo feito, é fato que uma reestruturação do porte que está sendo necessária leva tempo, mas não para se fazer: para se concluir. Apenas fico na torcida para que não se atrasem.

Quanto à OI, essa é uma empresa com a qual eu já desisti de trabalhar devido aos grandes prejuízos que tive enquanto cliente. Desde que era Telemar eu não conheço ninguém que não tenha não uma queixa, mas uma lista delas, sobre a operadora de telefonia fixa, móvel, de internet e, agora, de TV. Como titular, eu fui cliente apenas de móvel pré-pago e sempre me sentia lesado com todos os serviços quando usava. Em uma ocasião, no ano passado, em que eu já não usava mais o chip da operadora, liguei para um amigo que só tinha OI e estava indisponível. Ouvi aquela gravação típica e, em seguida, a chamada foi encerrada (tudo como o habitual). Mas eu percebi que isso havia consumido meus créditos e ainda reclamei com minha operadora (TIM), que informou que a cobrança era devida. Desde então fiz um boicote à OI, não ligando para nenhum número móvel da operadora e, obviamente, ficando sem falar com aquele amigo. A situação da operadora é tão crítica que até a página da Wikipedia diz que ela é a pior do Brasil.

“Em 2009, a Oi comprou a Brasil Telecom e passou a operar em todos os estados do País e no Distrito Federal, porém com graves problemas de cobertura, exemplo da Cidade de Rio das Ostras – RJ, possui apenas 2 Erbs enquanto outras operadoras possuem mais de 8, falhas no sinal EDGE e 3G.[2]. Hoje, a Oi tem mais de 62 milhões de clientes.” (página da Oi na Wikipédia)

Faltou falar da CLARO, empresa da qual me desgostei e me desfiz em 2008, quando voltei de Pernambuco para a Bahia (lá eu havia adquirido a linha pré-paga para facilitar o contato com a família, que preferia essa operadora). Desde então eu nunca mais tive qualquer interesse nela. E a VIVO, que não me deixa totalmente satisfeito mas tem a melhor prestação de serviços na região Nordeste e se tornou a melhor opção para clientes executivos desde que a TIM decidiu mudar seu público alvo para os jovens. A VIVO não sofreu com as restrições da Anatel mas também precisará apresentar um plano de ação, discorrendo sobre melhorias nos sistemas (afinal o Brasil está MUITO atrasado em relação à rede 4G).

Dwsz.

Leia também:

Fato relevante – suspensão Anatel  e Carta aos Consumidores (página da TIM Brasil)

Anatel suspende a venda de novas linhas de celulares (página da Anatel)