Operação Natal


Ah! Agora eu entendi as melhorias que eu tenho visto no Extra!
Aproveite pra fazer suas compras AGORA porque antes do carnaval a merda volta por todos os ralos de novo.

Dwsz.

Anúncios

Charlie Chaplin em capa de agenda


Para quem é fã de Charlie Chaplin um ótimo presente de fim de ano seria a agenda cultural da Opinião. Em duas opções (Grande – 12,9cm x 20,5cm R$30,00, e Pequena – 10,7cm x 15,2cm R$20,00) as capas são diversas, e o conteúdo traz fotos e poesias.
Entre as diversas capas, como eu sugeri acima, existe a que traz o Charlie Chaplin. Quando a vi lembrei logo dos meus leitores, que tanto o pesquisam, e decidi que precisava informá-los.
Dwsz

Presentes de Natal 2010


Fim de ano, Natal e amigos secretos. Já vou avisando que tenho preferência por determinados artigos e, se puder, eu escolho sim!
Não vejo problema em ganhar roupas de presente, desde que sejam de bom gosto, é claro. Livros, cds, dvds e aparelhos eletrônicos também me agradam. Mas algumas características específicas devem ser observadas antes de embrulhar os presentes.
Eu sou magro e, por esse motivo, as camisas devem ser tamanho P, S, ou 1. Também gosto de manga longa, mas só para as clássicas já que em Salvador é Verão o ano inteiro.
E, por falar em Verão, essas são as cores que eu mais gosto: amarelo, azuis vibrantes, verdes, branco e tons violeta. As que eu não gosto, não me sinto bem ou simplesmente não quero mais no meu guarda-roupa são aqueles azuis que todo mundo tem, laranja, cinza, preto, marrom e vermelho. Prefiro algodão.
O preto e o cinza são excessões para calças e bermudas, que devem ser tamanho 36. É um pouco difícil de achar, mas é importante insistir porque as 38 incomodam com a folga na cintura, além de escorregar mesmo com o cinto. Preferência pelo jeans para calças e bermudas e pela sarja para bermudas. O que me incomoda nas tactel são a pouca durabilidade do velcro e a escassez de bolsos.
Tênis e sapatos básicos, com poucos detalhes. Preferência por branco e preto. Não gosto dos azuis. Alguns cinza ou marrom podem abrir excessões. Tamanho 41.
Gosto de livros de linguagem simples. Alguns autores que aprecio são Paulo Coelho, Clarice Lispector (contradição pra reafirmar a regra), Dan Brown, José de Alencar e Friedrich Nietzsche. Gosto de títulos esotéricos, romances policiais e autoajuda. Quero mais de José de Alencar e Paulo Coelho para a coleção, alguns relacionados a psicologia (mas nada técnico) e alguns clássicos. Estão na minha lista O Morro dos Ventos Uivante (Emily Brontë), O Fantasma Que Falava Espanhol (Luiz Galdino), O Vencedor Está Só (Paulo Coelho) e O Vidiota (Jerzy Kosinski). Gosto muito dos exemplares da Ediouro, da Coleção A Obra-Prima De Cada Autor (Martin Claret), Sextante e JZE.
Os cds e dvds são curingas e podem ser mudicais ou filmes (os cds podem ser audiolivros). É legal ouvir a voz de outra pessoa falando quando estou sozinho. Para audiolivros os títulos são mesmos dos impresos. Adquiri o impresso e o audiolivro de Sex And The City em inglês por uma bagatela e a experiência foi satisfatória. Os filmes podem ser de Terror ou Suspense, como Jogos Mortais, A Bruxa de Blair e Paranóia; um clássico, como Psicose; ou uma animação premiada, como as da Disney e da Pixar, estando entre eles Toy Story, Wall-E e A Viagem de Chihiro. Nos musicais, os gêneros que me agradam são New Wave, New Age, Rock, Pop. E os artistas que eu mais gosto são Cazuza, Pitty (só falta o dual-disc de Anacrônico com encarte para completar a coleção), Morrissey, Garbage, The Cranberries, The Cradigans. Gosto muito dos britânicos e dos europeus em geral.
Os aparelhos eletrônicos são os presentes mais caros mas não necessariamente mais interessantes.O que me atrai neles é o avanço tecnológico. Me interessam: smart phones, com suas funções de computador portátil, câmeras fotográficas com mais 6MP (ideal a partir de 12MP) ou um leitor eletrônico, como Kindle ou iPad.
Presentes que não são legais de escolher sem a pessoa que vai receber são roupas íntimas (cuecas e sungas, por exemplo; algumas marcas desconsideram as diferenças anatômicas básicas entre homens e mulheres e o efeito é muito desconforto) e perfumes, que dependem muito do gosto pessoal e do estado de humor.
Na dúvida, cartões-presente da Saraiva, Riachuelo e Marisa são boas opções.
Tenham um feliz Natal , com muitos presentes, e me convidem para os amigos secretos.
 

Shopping de Salvador faz decoração perigosa (My Bloody Christmas)


O Shopping Iguatemi de Salvador inaugurou uma decoração que tem como temática a Fábrica do Papai Noel. Mas não há fábricas que nunca tenham acidentes.
O Iguatemi foi muito atento à questão da segurança no trabalho. Para obter o melhor efeito possível foram inseridos elementos como engrenagens e caldeiras, ilustrando as máquinas, e esteiras, ilustrando o processo de produção. As engrenagens são muito grandes e podem ser tocadas por qualquer visitante mas as crianças preferem tocar peças móveis mais baixas ou subir nas esteiras para ver como os brinquedos surgem prontos magicamente.
Mas não é apenas no interior do shopping, na fábrica propriamente, que os acidentes podem ocorrer. Basta fazer o acesso pela entrada principal, no 1o piso, e observar o Papai Noel com um martelo quase caindo de uma mão enquanto o cotovelo, do outro lado, golpeia constantemente a fachada do prédio, onde as marcas já são notáveis.
Os perigos da decoração também estão na praça de alimentação, o meu ponto favorito. Ali estão enforcados dois bonecos de neve com chapéu de mestre cuca. Mas todos nós sabemos que bonecos de neve nunca trabalhariam na cozinha, a menos que todos os alimentos ali produzidos fossem de gelo. Trabalhar com fogo obviamente seria uma atividade suicida. Essa é a questão. Os bonecos de neve suicidaram-se bem no meio da praça de alimentação. Parece mesmo uma ameaça direta a dois funcionários que trabalham ali e a mensagem é daquelas que o destinatário sabe que é pra ele mas ninguém mais (exceto um detetive) conseguiria perceber.
Eu gostaria muito de saber a quem pertence a autoria do projeto dessa decoração. Gostaria de parabenizar pessoalmente por todas as possibilidades de acidentes que foram cuidadosamente plantadas, além da ameaça na praça de alimentação, que leva o cliente do shopping a um cenário de um clássico romance policial digno de Agatha Christie ou do Sir Conan Doyle.