Coelba permanece em greve


Os servidores da Coelba continuam em greve.
O curioso é que eles fazem manifestação pública mas não querem que o movimento seja público, não querem que seja veiculado nem que saia na mídia.
Como eu moro em frente à entrada da sede, eu decidi pegar minha câmera e fazer algumas fotos, como há semanas atrás. Dessa vez perguntaram de onde eu sou mas não só por curiosidade. Mesmo dizendo que sou amador me pediram identificação de imprensa. De forma hostil, uma mulher mais velha, irritada, me ameaçou dizendo “eu não sei de que lado você está, se sair alguma coisa que atinja a gente você não vai gostar do resultado”.
A mera suposição de que eu poderia publicar alguma coisa que os prejudicasse, assim, com fotos casuais e descompromissadas, amadoras mesmo, já é um forte indício do que eu suspeitava mas comentava à boca miúda por ser apenas especulação: que o movimento tem objetivo eleitoral apenas. E que pega “volume” com os funcionários que querem estender as férias, levando a greve até depois do carnaval.
Viva a Bahia.

Dowglasz

Anúncios

Coelba em greve no Cabula


ImageFuncionários da Coelba fazem paralisação na Av. Edgard Santos, em Narandiba, sem obstruir no trânsito.

A ação localizada nas proximidades da empresa do grupo Neoenergia é campanha salarial e protesto à retirada de plano de saúde. Os manifestantes não pretendem realizar passeata.

Dwsz.

Você já foi preso? Você já foi internado?


Sim, já fui preso sim. Internado não, porque eu não estava fazendo tratamento: estava cumprindo pena.

Eu fui detido várias vezes desde 2004 – em alguns anos mais de uma vez. A última vez foi no ano passado, em 2011, mas fui liberado na mesma noite.

Eu cumpri as penas de privação de liberdade num manicômio judiciário, ali na Narandiba, também conhecido como Juliano Moreira. O crime que eu cometi eles não divulgam, mas eu acredito que tenha sido pensar. Pensar é um crime hediondo! Está na Lei.
Certa vez eu estava pensando tanto que estava fazendo muitas perguntas – e questionar é um atentado contra o Sistema, também está na Lei. Eu estava fazendo tantas perguntas que precisava ser contido. Por isso meu pai parou o carro no estacionamento do Extra Paralela e tentou me segurar, mas ele é velho, sedentário e caquético – apesar de, agora, ele estar engordando muito -, então foi muito fácil dar um impulso pra trás e cair de costas em cima dele. Ele ficou inconsciente por alguns dias e, naquela hora, bastaria um chute na cabeça pra findar o coitado mas, como se diz por aí, “eu não esmago mosca morta”. Ou será “eu não chuto cachorro morto”? Tanto faz. E os PsiCops nem demoraram muito pra chegar.
O caso é que, se ele morresse, eu poderia até tentar alegar legítima defesa – afinal as câmeras de vigilância registram apenas imiagens e não áudio, seria muito fácil dizer que eu me defndi porque ele estava me agarrando pelas costas – mas, como eu disse, ele já estava velho, caquético e sedentário. Assim, além de responder pela reincidência nos crimes anteriores (já citados acima) eu ainda responderia por homicídio culposo (aquele em que se assume o risco de matar).

Quando as infrações eram mais leves (eram sempre pensar e questionar, mas tomavam propórções menores), nesses casos a pena era de privação parcial de liberdade, que eu cumpria no CENA (serviço anexo ao Juliano Moreira) ou no que hoje se conhece como Serviços Substitutivos – ou, popularmente, CAPS.

O mais importante para voltar à liberdade, algumas vezes com bônus de redução da pena, é participar do programa de cobaias experimentando novas drogas das quais não se conhece os efeitos colaterias nem o sistema de ação. Há alguns que, depois de experimentar algumas dessas drogas, sofrem lesões no cérebro que os torna incapazes de retomar as atividades normais na sociedade. Esses são conhecidos como “aposentados” ou, porpularmente, “inválidos” ou “incapazes” mesmo (mas esses dois com sentido pejorativo). Há outros ainda que sofrem reações tão fortes que não sobrevivem. Oficialmente são registrados como “suicidas” mas, em termos técnicos, chama-se isso de “hipersensibilidade”. Mas são casos raros: apenas 5 entre 7 de todos que usam as drogas.

*PsiCop -> Polícia Mental
Dwsz.

Novidades móveis


Desodorante

Image via Wikipedia

Antes de começar preciso falar de uma coisa que muita gente que vem aqui quer saber. E muitos vêm só por isso.

Se teu filho tem 8 anos e tá com mau cheiro nas axilas, manda ele tomar banho e usar desodorante!!! Por favor!!! Aqui na Lan House vem menino o dia todo, alguns até com mais idade que isso, e eu fico até com dor de cabeça quando um desses senta perto de mim.

É de se esperar que isso aconteça nessa idade, é absolutamente normal e nada preocupante. ESTOU FALANDO DE COMEÇAR A EXALAR ESSES AROMAS, NÃO DE ESPALHÁ-LOS POR AÍ O TEMPO TODO! Isso resolve-se com um bom banho e desodorante. Espero ter sido claro.

 

 

Agora que já posso falar do que pretendia:

Hoje completa uma semana que estou usando o Foston FS-N932W e estou gostando muito. Ele tem a opção de conexão WiFi mas, como onde eu moro não tem nenhuma rede, só usei no shopping, uma vez. Funcionou muito bem.

Depois de dois dias eu não conseguia mais conectar pelo navegador padrão e não sei qual é o problema. Se alguém tiver uma sugestão, receberei muito grato. Estou navegando pelo Opera Mini 3, mas só com ele não é possível fazer download de conteúdos. Para isso eu precisaria do navegador padrão.

No Nokia 6111 eu usava o Opera Mini 4 e conseguia enviar as fotos que eu tinha nele para meu álbum virtual no Windows Live. Com o Foston eu não consigo fazer isso. Quando eu seleciono a opção de carregar foto, ele abre a câmera para tirar uma foto nova. Não sei se é do aparelho ou do navegador e gostaria que outros usuários me informassem sobre transtornos semelhantes.

Também não estou conseguindo conectar direito ao WordPress através dele, por esse motivo não poderei atualizar com tanta frequencia quanto o fazia com o Nokia.

Esses dias eu resolvi pesquisar sobre e-books e jogos para o celular. Me encontrei no 4shared. O conteúdo vasto e relevante que eu encontrei ali compensa os segundos que eu tenho que esperar para realizar o download. E esses ficam prontos em instantes com o Orbit. Júnior, administrador da Lan House em Narandiba bem sabe disso. Eu o apresentei ao gerenciador de downloads e ele aprovou.

Tanto o Foston quanto o Mini HiPhone só leem .TXT e isso dificulta a busca bem-sucedida por e-books compatíveis. Estarei compartilhando alguns com os amigos e espero que haja reciprocidade. Estou lendo agora UM ESTRANHO NO ESPELHO de Sidney Sheldon. Estou gostando muito desse livro. Prefiro fazer as leituras no Mini HiPhone por causa da tela. As duas tem as mesmas dimensões mas o Mini Hiphone é na vertical, o que permite uma leitura mais próxima da leitura de um livro convencional.

Os jogos que eu já tenho na minha coleção são centenas. Alguns deram erro e não rodaram (muitos são direcionados a outros aparelhos) e os outros são diversos. Uma tela grande permite rodar jogos com resoluções menores. Isso quer dizer que, numa tela de 320×240 eu rodo um jogo de 170×240 tranquilamente. Mas se eu rodar um jogo de 240×320 eu vou perder informações na parte inferior da tela. Um bom jogo entre os que eu já experimentei é o Toy Story 3. É lúdico, mas é Toy Story e isso é tudo.

Ok, estou sendo chato, eu sei. Vou fazer uma pausa aqui e quando voltar eu falo sobre as músicas, que prometem um capítulo à parte. Pra dar um gostinho, sente a nostalgia com Roxette e Blitz.

Abraços.

CENA pro saco


O que antigamente era chamado de Centro de Convivencia de Narandiba, conhecido por CENA, NuDia (ou Hospital-Dia), do Hospital Juliano Moreira, foi criado a partir da idéia antimanicomial.

A idéia é que só sejam internados aqueles pacientes que oferecem risco a si ou aos de seu meio.

Mas o que acontece é que (dizem-se) profissionais despreparados manipulam o sistema interno como bem entendem e simplesmente derrubam o movimento antimacomial. Quem chega ali sai melhor por um único motivo: chegou ali em crise. Pode-se observar muito bem isso porque muitos voltam periódicamente (em nova crise).

O CENA é um prédio anexo ao Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira, no bairro Narandiba, em Salvador.