O que você quer saber?


Você tem dúvidas ou está procurando sugestões? Envie sua pergunta para dowglasz@gmail.com. Em breve você encontrará um novo blog onde as questões mais pertinentes serão respondidas de forma crítica através de uma análise ampla. Pergunte sobre o comportamento da sociedade, educação, cultura, arte, nomes, música… Não importa, se eu souber a resposta eu vou oferecer da forma mais coerente. Se eu não souber, eu vou procurar pra você.

Aguardo sua participação por e-mail.

Dowglasz.

Anúncios

Ver TV é uma obrigação


A maioria das pessoas na internet assiste os reality shows pelo prazer de falar mal desses programas. Não há nada de bom que possa ser aproveitado na maioria deles e o grande esporte é exatamente apontar os erros e todos os pontos negativos que os fazem ser produtos nocivos e de baixa qualidade.
Este prazer, porém, não é extasiante: não causa euforia ou nenhuma sensação sublime. Este prazer é aquele mesmo que se sente ao mergulhar a mão na água gelada depois de ter-se ferido com uma fôrma quente e pesada ao retirar um bolo do forno.

As pessoas não gostam realmente de assistir televisão: nem quem assiste TV aberta nem quem assina canais fechados. Ambos lamentam o conteúdo que recebem e choram por não poder “subir de nível”. Todos assistem pela obrigação de ter um assunto sobre o qual todos possam discutir em uma conversa.

O engraçado é que essa programação é elaborada pelos “donos do poder”, que têm um objetivo direto e específico com isso. Só que esses mesmos “donos do poder” reclamam dos efeitos causados na intelectualidade, cultura, educação, ética e moral da população.
E quem são os “donos do poder”?

Dowglasz Abjhörsky.

Charlie Chaplin em capa de agenda


Para quem é fã de Charlie Chaplin um ótimo presente de fim de ano seria a agenda cultural da Opinião. Em duas opções (Grande – 12,9cm x 20,5cm R$30,00, e Pequena – 10,7cm x 15,2cm R$20,00) as capas são diversas, e o conteúdo traz fotos e poesias.
Entre as diversas capas, como eu sugeri acima, existe a que traz o Charlie Chaplin. Quando a vi lembrei logo dos meus leitores, que tanto o pesquisam, e decidi que precisava informá-los.
Dwsz

O que esperar dos alunos do IFBA se eles têm professsores desse nível?


Como aluno do IFBA, eu recebi um e-mail de um professor, solicitando a realização de uma atividade. O problema é que esse professor não tem conhecimento sobre o assunto – e isto fica visível nos erros gravíssimos de lógica e de contexto (inadmissível para um professor de história). Para um olhar leigo, os erros se resumem a uma informação contraditória no mapa (expansão e recuo da expansão ao mesmo tempo) e outra no fragmento de texto.

Mas essa atividade é sobre o Islamismo/”Mundo Árabe” e está difamando toda uma sociedade/cultura por causa da má formação de um professor. Ele corre o risco de ser processado pela sociedade islâmica a menos que prove que o documento não é de sua autoria. Especialmente porque o fragmento citado é um fragmento do Corão, o livro sagrado dos muçulmanos e todos sabemos que, se Alex Ivo tivesse feito algo semelhante com a Bíblia, a punição viria direto do Vaticano.

Se você ainda quer ser aluno do IFBA, pense duas vezes: a instituição não é a mesma que era quando tinha o nome “Cefet”. Assim a estrutura física e os corpos discente e docente não são os mesmos. Se seu filho é aluno do IFBA, acompanhe-o de perto, DE MUITO PERTO, para que ele não seja mais um perdido no mundo. Se você é professor do IFBA, tome muitos antidepressivos ou mude de emprego – a menos que você esteja nos padrões da instituição.

Dwsz.