Ninguém comprará a nossa luta


Movimentos sociais são iniciados, ordenados e liderados por membros da sociedade. Mas, quando são por mudanças importantes na sociedade (“pena privativa de liberdade para maltratadores de animais” será nosso exemplo ilustrativo) é necessário que alguém “compre” essa “luta”, afinal é necessário que sejam formuladas leis para isso, e seria importante a opinião de médicos veterinários (e clínicos também) e donos de pet shop, além de outros criadores e tantas outras categorias. Ora, se nem esses e nem a Sociedade Protetora dos Animais comprarem essa luta… Pra onde vai esse negócio?

Anarquia ou anarquismo? Manifestantes declaram desinteresse nas mudanças: rebeldes ficariam sem causa.

Continuar lendo

Assaltado pelo Banco Central


No 1º Ofício de Notas de Camaçari, ao solicitar e pagar o serviço de reconhecimento de firma – que custa R$3,10 -, o cliente ouve aquela vozinha cínica com um sorriso falso dizendo “vou ficar te devendo quarenta centavos”. PORRA! R$0,40 é muito pra deixar de gorjeta num mercadinho que me oferece bala quando faltam moedas de cinco centarro, como é que eu posso deixar isso num órgão público que já me assaltou na cobrança de um serviço tão básico?

Camaçari: cartórios privatizados apresentam problemas http://rmsnoticias.com/n/cartorios-privatizados-apresentam-problemas

A puta da servidora ainda começou a mudar o discurso balbuciando “eu não estou dizendo que não vou te dar o troco, estou pedindo pro senhor esperar um pouco porque faltam cinquenta centavos”. Eu dei R$4,10 a que ela me retornaria R$1,00. Nessa recontagem dela, eu conferi minha carteira de novo e ofereci uma moeda de R$0,50 pra facilitar o troco mas descobri que ela não tinha troco nenhum!

Uma dona de casa procurou apoio da Polícia Civil após ter a devolução do troco negado por um comerciante http://portal3.process.com.br/novo/modules.php?name=News&file=article&sid=7116

Sob a ameaça de barraco e denúncia de irregulares (cobrar 12% a mais sobre o valor de um serviço seria apenas a ponta de um iceberg) expressões de medo e contenção de músculos do rosto  plantaram-se em todos os seres que estavam do outro lado do balcão, fazendo aparecer imediatamente moedas suficientes para formar noventa centavos que se juntaram aos dez centavos que eu havia entregue com a duas cédulas azuis. Um dos servidores tinha escrito no crachá  – que não estava usando – “Carochinha” e começou o “era uma vez os servidores que acabamos de voltar porque fomos de banco em banco…” sendo interrompido por uma outra mulher em trajes formais que argumentava “não precisa dar satisfação não, pra esse mal-educado…”.

Os crimes do trocador sem troco http://direito.folha.uol.com.br/1/post/2012/05/os-crimes-do-trocador-sem-troco.html

Eu apenas observei tudo dos melhores ângulos até que todos estávamos de pé, de um lado e do outro do balcão, e, com o troco dado certo, nos voltamos para a saída, eu e o dono da casa, que fez questão de contar o que aconteceu a todos que encontrava pela rua, tão indignado e falastrão quanto eu ficaria se estivesse sozinho. O problema é que, não estando sozinho, eu minei todas as energias negativas que empregaria em um bom argumento-denúncia na Ouvidoria Geral.

Prefeito de Camaçari Luiz Carlos Caetano é punido por irregularidades em convênio http://www.jornalgrandebahia.com.br/2012/08/prefeito-de-camacariluiz-carlos-caetano-e-punido-por-irregularidades-em-convenio.html

Errado é quem exige seus direitos e quantos mais direitos tiver mais exigir. Brazil é um país de corrupção que incentiva a falsificação de documentos até mesmo quando emite algo tão barato quanto eu teria feito na minha impressora em casa. Mas eis o diferencial: em casa, eu teria feito melhor.

Etiqueta adesiva com impressão mal enquadrada, texto cortado e informação ilegível.

Dwsz.

UJS gera transtornos aos usuários de transporte público (e privado) de Salvador


A tarifa de ônibus em Salvador é incoerente com a realidade da população, mas isso é irrelevante.

A tarifa de ônibus em Salvador é incoerente com a realidade das frotas que circulam pela cidade. Isso é de essencial avaliação ao estabelecer os valores.

É necessário substituir toda a frota de ônibus de Salvador, rever o estado das vias (ruas e avenidas, túneis e viadutos, etc) e reciclar TODOS os motoristas da cidade, sem esquecer dos pedestres – que vêm desaprendendo o que já ensinado nas pré-escolas há 15 anos atrás.

Em Recife vigora uma tarifa muito mais baixa que a de Salvador, com onibus novos, limpos e confortáveis, dispostos em número satisfatório – e com integração com o metrô (trasporte utópico para os soteropolitanos) – e circulando por vias em ótimo estado, movidos a Biodiesel.

Voltando à capital baiana e aos organizadores do protesto, fica claro que ninguém está prestando atenção nas reais necessidades dos estudantes ou dos outros usuários de transporte público. O eles querem é chamar a atenção. Já conseguiram aparecer para a mídia nacional e, quiçá, internacional. Agora, por favor, PAREM DE ATRAPALHAR A VIDA DAS PESSOAS DE BEM!!!!

Os representantes políticos que estão por trás da “Revolta do Buzú” nada mais querem além de retirar João Henrique do cargo. E eu concordo que ele não governou tão bem. Mas não concordo que eu deva pagar pela indignação alheia. Vamos ser TRANSPARENTES e esclarecer os objetivos. Não era TRANSPARÊNCIA que se estava, outrora, exigindo do prefeito?

Aos que se interessam pela causa ESTUDANTIL – que é diferente da causa partidária da UJS – o que interessa é a redução da tarifa para uma compatível com o produto* apresentado (*vide CDC, que também pode classificar como serviço), melhoria desse produto/serviço para atender as necessidades dos clientes** (**vide CDC, entende-se cliente como o usuário do transporte público) incluindo aumento e renovação das frotas, utilizando preferencialmente BIODIESEL (mais econômico e menos poluente), dando melhor assistencia aos portadores de necessidades especiais (principalmente deficientes visuais e cadeirantes) e idosos, sistema de segurança eletrônica (câmeras) em todos ônibus.
Os protestos devem ser pacíficos mas – é necessário chamar a atenção – devem incomodar os responsáveis pelos problemas/soluções. Se for o caso de parar o trânsito, isso deve ser feito no Comércio (próximo ao SalvadorCard), em Brotas (próximo ao SETPS) e/ou na Praça Municipal (próximo à prefeitura). Ainda o objetivo deve ser mobilizar a população afim de entregar um documento aos respectivos diretores, e não somente causar transtornos.