Leitor de mídia digital


Eu tenho dito ultimamente que sou preguiçoso na leitura. Isso não é totalmente honesto. É fato que eu escrevo muito mais do que leio… Mas essa “preguiça” de ler e de pensar provém da internet, é coisa da “Era da Informação”.

Ora, é muito simples. Uma vez que há informação demais em toda mídia, é oferecido e misturado o útil, o fútil e o inputil. Aquilo que não tem conteúdo vem tudo de uma vez só. Quando há pouco conteúdo, vem em duas partes e carregar a segunda pode ser perda de tempo. O fútil continua sendo entretenimento, que pode ser o objetivo ou um leve escape para manter o bom-humor e melhorar a produtividade. O útil precisa apresentar seu melhor conteúdo na primeira chamada, convidando o leitor a navegar de página em página (mantendo o bom-humor para garantir a produtividade e, de vez em quando, perdendo preciosos segundos com alguns comentários bobos).

As coisas não mudaram muito do speculo XX ao XXI, na Teoria da Informação ou na Prática da Comunicação; o que mudaram foram os meios. Os jornalistas do século passado passavam horas lendo artigos de colegas em jornais e revistas, lendo livros impressos… E por isso “liam muito”, o que se denunciava nas “bolsas” sob as pálpebras. E eu digo que não leio porque só pego em papel pra escrever?

Assim como aqueles jornalistas, eu produzo mídia: sou bloggeiro, facebookeiro e twitteiro. E para produzir material autoral, ter minhas próprias ideias, eu preciso ler. Mas como, se eu mal toco nos livros da minha estante? Os livros na estante são mídia impressa, do século XX. Ainda é útil (MUITO útil) mas a minha mídia é a digital e, de fato, eu leio bastante material digital. Queira ou não queira, é através de textos na internet que eu me comunico com as pessoas, é nos sites e blogs que eu encontro as informações que procuro. Então eu leio muito, mas não posso contar quantas páginas por dia porque essa leitura não é em papel.

E ainda vai ter (mais) alguém querendo dizer que eu sou viciado em computador ou internet? A discussão vai ser feia.

Dwsz.

Anúncios

Dê o nome que quiser: upgrade na equipe, espaço para publicidade e recorde de visualizações


O #DONQQ está chegando à sua marca de 18 mil visualizações com mais um grande recorde. Desde que eu decidi começar a inserir publicidade aqui, o índice de visualizações diárias passou a ser igual ao que, até então, era o índice de visualizações mensais.

Estou muito feliz em poder comemorar isso com meus dois colaboradores, o Rafael Requião e o Rodrigo Maia. Nós nos conhecemos no Curso Opção (pré-IFBA) em 2010. Sentindo falta de meninas por aqui, o Rafael convidou a Fernanda Veiga (que ainda não é efetivamente uma colaboradora no blog) e eu ainda estou insistindo com Drika Navarro (também do Opção, mas que ainda não aceitou meu convite). Além desses, o Lucasz Chavez (o Nerd #1) promete uma série de artigos sobre microcomputadores (o garoto se empolga falando no assunto, e é Técnico em Montagem e Manutenção de Micro).

E voltando aos ebusiness, estou avaliando algumas propostas, com espaço para receber outras e com expectativas de boas novidades para todos, particularmente nas redes sociais. Continuem nos visitando sempre porque a equipe está crescendo e as atualizações estão sendo quase diárias (mas, pra compensar o delay, estamos publicando vários artigos no mesmo dia).

Muito obrigado a todos que nos acompanharam até aqui.

Dwsz.

O que é que eu vou ler?


As férias estão chegando e, para passar o tempo, há diversas opções. Para os clássicos, uma boa leitura em um lugar calmo é de longe a melhor escolha. Aos clássicos da nova geração, essa leitura será através de um computador – seja ele um desktop, um laptop, um tablet ou até mesmo um (not so) smartphone.

Todos esses “novos clássicos” encontrarão diversas opções de leitura em sites como o Scribd. Caso ainda não tenham certeza do título que querem ler, encontrarão sugestões e comentários em sites como o Skoob.

É, sendo assim a maior dificuldade vai ser escolher o local e a plataforma para essa tarefa. Mas isso também pode ter inúmeras variáveis, e deixarei essa discussão para depois.

Abraço,
Dwsz.