Site “Wikileaks” perde seu domínio, fundador é preso e acusado de estupro


Há a solta na Internet um site extremamente corajoso. Mas, como acontece em todos os cantos do mundo, mesmo a Internet tem seu limite: não é possível ter liberdade de expressão sem irritar alguém, e já que um dos irritados é o governo dos Estados Unidos, podemos dizer que o Wikileaks selou seu cruel destino.

O site já havia exibido milhares de documentos secretos sobre as guerras no Iraque e Afeganistão, que foram roubados do Exército dos EUA. Inclusive exibiu um vídeo feito de um helicóptero de guerra estadunidense enquanto matava jornalistas e civis no Iraque. O Wikileaks também dividiu 250.000 documentos roubados do Departamento de Estado dos EUA com o The New York Times, jornal americano famoso, e outras organizações de notícias do mundo inteiro.

Certamente, os criadores do site irritaram os governos dos EUA, China, Grã-Bretanha e muitas outras instituições. Os atingidos reagiram: tentaram cortar o financiamento do site, primeiro convencendo a empresa Amazon a expulsar o site de sua plataforma de hospedagem, e depois abordando a empresa PayPal e MasterCard para romper sua principal fonte de financiamento.

Mas foi quando o Wikileaks publicou uma lista de alvos para ferir a segurança nacional dos EUA que terminou de se afundar. Sua conta bancária na Suíça foi fechada, e o site perdeu o dinheiro que tinha nela; o banco alegou que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, mentiu na papelada da conta, dizendo que residia na Suíça, sendo que não reside.

Mas o sistema de registro de nomes de domínio de site, a organização que dava ao Wikileaks o direito de usar o nome de domínio “wikileaks.org”, cessou a sua afiliação com o site. Isso significa que as tentativas de entrar no site com esse domínio já não dão certo.

O site também perdeu outro serviço de hospedagem, o EveryDNS.net, e agora se contenta com uma mistura de hospedagem suíça e francesa. Mas o governo da França já está trabalhando para proibir o site em seus servidores nacionais.

Atualmente, a única maneira de chegar ao Wikileaks é através de uma pesquisa do Google, que vem com seu endereço de IP direto, que ocasionalmente é acessível, dependendo do volume atual de visitação.

Diante da possibilidade da sua obra-prima ser tirada do ar e da perda total de seu financiamento, o fundador Julian Assange se entregou às autoridades na Grã-Bretanha sobre a acusação sueca de violência sexual, não relacionada com os vazamentos recentes do site.

Ele avisou a seus seguidores que, se alguma coisa acontecer com ele enquanto estiver preso, uma chave secreta será lançada e desbloqueará um arquivo que contém todos os segredos inéditos do site.

Um dos acusadores de Julian na Suécia, no julgamento por crimes sexuais, coincidentemente tem vínculos com a CIA. A fiança do fundador do site foi autorizada, mas ele continua preso enquanto as autoridades tentam reverter a decisão judicial. [DailyTech]

 

Fonte: http://hypescience.com/site-%E2%80%9Cwikileaks%E2%80%9D-perde-seu-dominio-fundador-e-preso-e-acusado-de-estupro/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29

Anúncios

Uma resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s